III Festival Patos & Viola anuncia vencedores

III Festival Patos & Viola anuncia vencedores

Jurados decidiram nesse domingo os vencedores da terceira edição do Festival Patos & Viola. Um grande público movimentou a Fazendinha Cultural Adão Marins em uma tarde de portões abertos, onde a música raiz foi o destaque do dia. A emoção tomou conta dos competidores.

Há 59 anos a viola e o violão fazem parte da história da Festa Nacional do Milho e há três o Sindicato Rural e a Fundação Casa da Cultura do Milho reúne os melhores violeiros no Festival.

O público aplaudiu de pé os cantores, duplas e trios de diferentes cantos do Brasil que foram classificados do 1° ao 5° lugar. Para abrilhantar ainda mais o evento, convidados especiais também se apresentaram durante a contação de votos:

O célebre Nelson Coutinho, irmão do poeta Goiá, parabenizou e incentivou os participantes durante sua apresentação e encantou a plateia com seu carisma. Nelson também contou que já planeja um retorno a Patos de Minas. “Uma das melhores coisas da minha vida foi ser recebido por vocês de braços abertos. O João Otávio que me convidou, o Manito é meu amigo, a plateia é maravilhosa. Estou muito feliz! É uma coisa que eu nunca vou esquecer. Meu irmão Goiá morou aqui, e gostava muito. Em São Paulo, ele sempre dizia que tinha saudades dessa terra. Se Deus permitir eu pretendo voltar novamente algum dia.”

O poeta e compositor Paulo Caixeta também mostrou ao público seu trabalho. Pelo segundo ano consecutivo ele se apresenta aos visitantes durante a contação de votos, e mostra suas composições voltadas para o meio caboclo e estilo caipira, que falam sobre histórias do dia a dia. Em 2017 uma das suas canções também foi selecionada para a final: “A Verdade Seja Dita” interpretada pelo Trio Revelação de Minas.

O Festival é muito bom! Aqui ninguém sai perdendo, é um crescimento muito grande. Gostaria também de agradecer ao presidente do Sindicato, Elhon Cruvinel, e a diretora da Fundação Casa da Cultura do Milho, Marialda Coury, que está compilando todos os meus trabalhos. No ano que vem durante a Fenamilho nós vamos lançar um livro meu e toda a renda conseguida com a venda dele será revestida para a APAE. Como diria Goiá, não faço em meu benefício, para mim a modéstia tem muito valor, porém eu estou envelhecendo e a conselho da Marialda, eu ficaria feliz em ver meu trabalho eternizado. “O ABC do Caipira” como será chamada a obra, contará sobre o dia a dia do homem do campo, suas trajetórias e as dificuldades que ele encontra ao chegar na cidade para ser inserido no mercado de trabalho”, afirmou ele.

Outra atração especial da noite foi o “Mutirão das Fiandeiras”. As Marias Artesãs que em 2017 comemoraram 15 anos de história subiram no palco para demonstrar ao público todo o processo de tecelagem enquanto cantavam versos animados. A performance foi bastante elogiada.

Para a presidente da Associação das Marias Artesãs, Maria de Lourdes Oliveira Paula, as expectativas foram superadas. “Foi ótimo mostrar nosso trabalho e uma parte da nossa história. Nos sentimos muito agradecidas pelo público ter permanecido para acompanhar nossa apresentação. Estamos com a sensação de dever cumprido, nunca pensamos que o resultado seria tão positivo, mesmo depois de tanta preparação. A repercussão foi grande, depois que saímos, recebemos elogios nas ruas e inclusive nas rádios.”

A cada ano o Festival Patos & Viola ganha mais investimentos e visibilidade. Em 2016 mais de 170 pessoas se inscreveram. Neste ano, o Festival recebeu mais de 200 inscrições oriundas de todos os cantos do Brasil.

A terceira edição do Festival Patos & Viola superou expectativas. A cada ano surgem mais competidores, que vem de novos estados e buscam dar o melhor de si. Dessa forma nosso projeto também ganha pois a qualidade se eleva gradativamente” contou o coordenador do evento, João Otávio Coelho.

Para entrar na competição os músicos obrigatoriamente deveriam apresentar canções inéditas e originais que se encaixassem nas categorias Caipira, Sertaneja ou Instrumental. Na primeira etapa foi realizada a pré-seleção. Das mais de 200 canções recebidas, somente sete de cada categoria foram selecionadas, totalizando 21 composições.

Na segunda fase, os 21 concorrentes se apresentaram a uma comissão julgadora composta por profissionais do meio artístico com notório conhecimento musical e técnico exigido pela organização do concurso. Avaliados nos quesitos afinação, andamento rítmico, harmonia, interpretação, letra e melodia, cinco de cada categoria foram aprovados para a final.

Homens e mulheres de diferentes idades, alguns estreantes e outros veteranos no concurso aguardavam ansiosos o resultado. Na final, os jurados avaliaram não só os quesitos técnicos, mas também a desenvoltura e crescimento do arista durante a competição. Conheça os vencedores:


CATEGORIA CAIPIRA

1° - “A Viola é o Mastro” (Karoline & Pâmela Viola): Poxoréu – MT

2° - “Espelho do Mundo” (Zé Tropeiro & Villar): Patos de Minas – MG

3° - “Viola Irmã” (Léo Dias & Ricardo): Patos de Minas – MG

4° - “A Verdade Seja Dita” (Trio Revelação de Minas): Patos de Minas – MG

5° - “Rainha de Dez Cordas” (Wisley & Douglas): Araxá – MG


CATEGORIA INSTRUMENTAL

1° - “Enche Pista” (Garotos de Patos): Patos de Minas – MG

2° - “Guiacá” (Bruno & Felipe): Uberlândia – MG

3° - “Pagode em Minas” (Claudinei Viola): Patos de Minas- MG

4° - “Revoada Silenciosa” (Raphael Vital): Três Lagoas – MS

5° - “Serena” (Geo Viola): Patos de Minas – MG


CATEGORIA SERTANEJO:

1° - “Machuca” (Nice Figueiredo): Patos de Minas - MG

2° - “Súdito da Realeza” (Valmir Fidelis): Patos de Minas - MG

3° - “Amor de Sertanejo” (Banda Conser-tão): Arinos - MG

4° - “Mãe Natureza” - (Rio Preto & Riachinho): –Uaní - MG

5° - “A Rosa” (Vane Pimentel): Patos de Minas - MG


Todos os colocados do 1° ao 5° lugar foram premiados com um troféu personalizado e uma faixa de gravação no CD do Festival. Entre os três primeiros, foi distribuída ainda uma quantia de 30 mil reais em dinheiro, a maior premiação de festivais sertanejos do país.